IRREGULAR
Nora Villar

pisei os sonhos
no gral da angústia
enterrei na testa
a aresta aguda
do caco maior

o vidro moído
escapa-se em silêncio
pelos interstícios
das veias

agora vejo por dentro
a realidade fragmentada
no caleidoscópio
dos olhos

cai uma pausa
de espanto
a nivelar os sentidos
na alquimia das horas

ignoro as sombras voadas
nas janelas do sengue
e o assobio
em que embalo
o medo
assalta-me as paredes
sem me afligir

PEDRO LARANJEIRA