A RIR
Jorge Castro

O sorriso que dás, volta para ti mesmo.
Provérbio indiano

se o sorriso que me dás
há-de voltar pra ti mesmo
então ri
larga de ti
a sonora gargalhada
ri de mim
de ti
a esmo
ri de tudo
ri de nada

por vezes só um sorriso
que se lança como esmola
outras vezes palhaçada
retirada da cartola

ri com os dentes que tens
ri se partes
ri se vens
ri de tantas malas-artes
e de tantos estarolas

(e se dentes já não tens
usa a tua dentadura
tal e qual as castanholas
numa andaluza aventura)

ri da vida à gargalhada

e no fim de tanto rir
mesmo de rir a chorar
ou de alegria esforçada
ficas melhor
criatura
verás que não te dói nada...

PEDRO LARANJEIRA